sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Crítica | Um dia de Chuva em Nova York



'Um Dia de Chuva em Nova York', a mais nova aposta de Woody Allen que estreou nessa quinta ( 21), e que possui como pano de fundo o seu cenário preferido, desde o início vem enfrentando um grande problema. 

De maneira que o diretor foi acusado de abuso por parte de sua filha adotiva e devido a isso teve todos os seus trabalho e estreias juntamente a Amazon studios prejudicados. Apesar de tal fato até o momento encontrar-se sem uma resolução, o caso lhe rendeu um ano vazio e sem estreias em 2018 e foi lembrado por não acorrer desde 1981.





Na história, Gatsby (Timothée Chalamet) um apaixonado por Nova York e sua namorada Ashleigh (Elle Fanning) decidem passar um fim de semana na cidade, mas o que era pra ser algo romântico acaba tomando um rumo totalmente inesperado para o improvável casal. 

A aspirante a jornalista, Ashleigh (Elle Fanning) consegue uma chance única de
entrevistar o famoso diretor Roland Pollard (Liev Shreiber) e parte em uma louca desventura em busca de descobertas. Enquanto dedica o seu tempo em encontros de Hollywood - passando a tarde com o roteirista Ted Davidoff (Jude Law) e o astro Francisco Vega (Diego Luna), o seu boy chato e perdido Gatsby perambula sem rumo pela cidade, esbanjando melancolia por onde passa . Na medida que se depara com alguns amigos e ainda esbarra na irmã de sua ex-namorada, Shannon (Selena Gomez).



Será mesmo que apenas ' Um dia de chuva em Nova York ' é o suficiente para fazer com que Ashleigh redescubra suas paixões e Gatsby aprenda com seus erros e adote a icônica frase " só se vive uma vez".

De certo tal polêmica pode ter refletido de alguma forma no trabalho de Allen, já que a construção de seus personagens nessa trama pareceu um tanto repetitivo e até mesmo irreal para a época em que foi introduzido e não conduz com suas produções anteriores. 




Assim, os personagens do longa não apresentam nenhum elemento novo e se tornam com passar da narrativa mais um clichê perdido e pouco explorado nas telonas. 

No qual infelizmente deixa claríssimo o quanto Allen acerta quando se remete ao passado ou cria personalidades mais velhas e não consegue se adequar na montagem de cenários atuais, tornado o longa mais uma adaptação que se encaixa perfeitamente no quisito sessão da tarde.






Nova York já diz muito por si só e quando um filme cria belíssimas cenas muito bem construídas e com o seu charme capturado pela excelente fotografia de Vittorio Storaro, é um dos poucos ingredientes que de certa forma salvam Allen da exaustão. Aliado é claro a algumas piadas muito bem colocadas e a inserção da personagem de Selena Gomez ( Shan) que parece quebrar os paradigmas e age de maneira despreocupada em se encaixar aos moldes e destoa dos rótulos repetitivos apresentados com certa frequência pelo diretor. 

Porém, se você meu caro cinéfilo é fã de um filme com uma fotografia linda, uma trama melosa e bons atores que não foram tão bem aproveitados, o novo filme do Woody Allen, 83, é uma boa pedida para o fim de semana.







Ficha técnica:

Título Original: A Rainy Day in New York

Data de lançamento: 21 de novembro de 2019 (Brasil)

Direção: Woody Allen

Orçamento: 25 milhões USD

 Vittorio Storaro

Produção: Letty Aronson

Classificação:14 (Brazil)

Gênero: Comédia/Comédia romântica

Duração: 1h 35m

Nota:🌟🌟🌟

Elenco:



Trailer:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não deixe de comentar, sua opinião é muito importante para mim. Se tiver algum blog, só deixar o link que darei uma olhadinha também =]

/>