sexta-feira, 1 de julho de 2016

Crítica: Procurando Dory


Continue a nadar...

O que parecia ser improvável, ou até mesmo impossível, acabou acontecendo. Treze anos depois do fenômeno Procurando Nemo, animação que fez as crianças (e os adultos) se apaixonarem na época, a Disney/ Pixar mexe no caldeirão de nostalgia e leva de volta esse mesmo público - agora bem mais velho - além dos pequenos, para as salas de cinema e os faz sentir toda a emoção novamente. Ver os personagens ganhando vida mais uma vez foi um momento mágico com certeza, e magia é o que esses gigantes do entretenimento sabem fazer de melhor.

Procurando Dory conta a história de nossa peixinha favorita, Dory, que um ano após os acontecimentos com Nemo acaba se lembrando de seus pais e decide ir atrás deles. Com a ajuda de sua atual família, Marlin e Nemo, eles vão atrás do passado de Dory e se metem em muitas confusões; como era de se esperar. Além de rever personagens antigos que tanto gostamos, como o professor arraia cantor tio Raia e as simpáticas tartarugas Crush e seu filho Esguicho, podemos conhecer personagens novos e tão cativantes quanto os originais. Destaques para o polvo rabugento Hank e a tubarão baleia Destiny, amiga de infância de Dory, que garantem ótimos momentos.


A dublagem brasileira merece aplausos de pé, com os dubladores originais de Marlin e Dory de volta e também com a participação de Marília Gabriela e Antônio Tabet (Hank). Com pitadas de humor inteligente e piadas adaptadas para a realidade e memes brasileiros, arranca risos de todos no cinema.
É sempre complicado atender as expectativas de um público que esperou tanto por esse filme, mas com certeza o sentimento que fica no ar é o de dever cumprido. O filme diverte do início ao fim, mesmo em momentos que perde um pouco o ritmo, mas sem deixar a peteca cair. Além disso, levanta a bandeira já característica da Disney sobre a importância da família, amizade, respeito e amor. É bonito ver que o laço entre eles (Dory/ Marlin/ Nemo) se fortaleceu ainda mais e que, apesar das diferenças entre eles, o amor tudo supera. Posso afirmar de coração que amei e pretendo ver muitas vezes mais. Só preciso dizer que senti falta do tubarão Bruce, afinal, "peixes são amigos, não comida".
É Disney/ Pixar, vocês conseguiram de novo. E encerro o post com essa imagem de Dory bebê que me arranca suspiros toda vez que vejo.



Procurando Dory
Título original: Finding Dory
Ano de lançamento: 2016
Direção: Andrew Stanton, Angus MacLan
Elenco: Ellen Degeneres, Albert Brooks, Ty Burrell
Duração: 100 min.  
Gênero: Animação  
       





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não deixe de comentar, sua opinião é muito importante para mim. Se tiver algum blog, só deixar o link que darei uma olhadinha também =]

/>